domingo, 8 de setembro de 2013

Quem me dera que houvesse máquinas do tempo

Dava-me tanto jeito! Precisava mesmo de voltar atrás, agora que sei que fazendo ou não o que fiz o resultado ia dar ao mesmo. Se conseguisse voltar atrás, desfazia o que fiz e evitava o que sinto agora: uma espécie de raiva de ti. Só me apetece chegar ao pé de ti e dar-te uma chapada ou então segurar-te e abanar-te para ver se acordas para a vida. Grr! Como fui tão parvinha e não vi logo que eras assim? Assim como todos me diziam.. um "totó" (que não sabe o que quer da vida). T.

Sem comentários:

Enviar um comentário