segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Dias vazios

Hoje foi o funeral. Estes dias têm sido horríveis, esta sensação.. parece que anda no ar algo.. Este cansaço, volto a dizer: horrível.
Doenças, hospitais, morte.. já chega! É saturante, dá cabo de uma pessoa, ainda mais por ser em relação  a alguém que vivia tão perto de mim. É triste sim, mas friso: agora está em paz! E embora os que cá ficam estejam com "aquela sensação", que não é bem explicável, ao menos ele já não sofre, e esta sensação passará. Portanto, paz é o que é preciso, e virá com certeza, para mim, para nós, e para a minha avó, que bem merece descansar e aproveitar os seus últimos anos.

Não digo que não será estranho entrar em casa deles, e saber que não está nem no seu sofá, nem na cama, saber que não volta, saber que não foi dar uma voltinha e que já não se encontra cá, mas a vida é isto, e temos que aceitar. Até ao ir a casa da minha outra avó às vezes ainda se olha para o sítio onde o meu outro avô costumava estar, e pensa-se que era "suposto" estar ali alguém.
Mas é assim..
(Gostava mesmo de acreditar na vida depois da morte, ficaria descansada, ou sei lá.. melhor do que estou, sabia que todos os que já partiram estão bem, que estão em paz, gostava de saber isso, gostava de ACREDITAR, mas eu normalmente para acreditar nas coisas preciso de provas concretas,  e essas não as tenho.)

Sem comentários:

Enviar um comentário